Violência nas escolas - bullying



Seja pelos jornais, rádio ou internet, com certeza você já ficou sabendo de um caso de alguém que sofreu algum tipo de violência na escola. Infelizmente, essa é uma realidade em muitas instituições educacionais, e não é raro presenciar muros pichados e carteiras destruídas.

Mas a agressão física não é a única que afeta alunos e professores. O chamado "bullying" é um mal que está assolando as escolas em todo o país. O termo que vem do inglês (bully) significa "valentão", e é utilizado para descrever atos de violência física ou psicológica, com o objetivo de agredir uma pessoa ou um grupo.

Foi o que aconteceu com a estudante universitária Fernanda Matos*, hoje com 19 anos. Ela sempre estudou em escolas públicas próximas à sua casa, e foi no Ensino Médio que começaram uma série de constrangimentos, conta ela, muitas vezes públicos. "Os meninos, e até algumas meninas, faziam uma roda em torno de mim e falavam coisas terríveis", conta. Fernanda diz que na época não entendia o porquê de ser tão odiada na escola. "Talvez porque eu fosse muito tímida e não tinha muitas amizades. Sempre fui um pouco gordinha, usava meu cabelo vermelho e sempre tinha os olhos pintados. Acho que acabava me destacando, mesmo sem querer isso conscientemente". Mesmo com as agressões que sofria, Fernanda tirou força do seu sofrimento. "Chorava muito naquela época, me tornei ainda mais introspectiva e fechada. Meus pais perceberam que havia algo errado comigo e me levaram para a terapia, em que eu descobri que nunca tive nenhum problema, os incomodados eram os outros", relata. As dificuldades enfrentadas na adolescência fizeram a jovem decidir seu futuro ainda naquela época. "Decidi me tornar psicóloga para aprender ainda mais sobre a mente humana, e é claro, futuramente ajudar as pessoas que também sofreram discriminação na escola, assim como a terapia me ajudou na época", conclui.

O Bullying é um termo utilizado para descrever uma forma de assédio, utilizado por aquele que está de alguma forma em um nível acima da vítima, seja porque o agressor é mais forte, e em alguns casos até em melhores condições financeiras. O Bullying pode ser direto, e seus agressores são - em sua maioria ­homens. Já a agressão social ou Bullying indireto ocorre mais entre as mulheres e crianças, e é caracterizada pelo isolamento social, que é desencadeado por meio de técnicas como espalhar comentários, a recusa em se socializar com a vítima e até intimidar outras pessoas que tentam amizade com a vítima.

Fernanda conta que isso também aconteceu com ela. "Tinha poucos amigos na época da escola, mas os que eu tinha eram fiéis e me apoiaram muito, tanto que até hoje converso com a maioria deles. Quando as agressões começaram, muitas vezes eles também foram ofendidos. Uma vez até rolou uma briga, depois de mais uma sessão de xingamentos, eram os meus amigos me defendendo contra os agressores, foi terrível", conta. Não é só o Bullying que preocupa pais e mestres.

A violência também se estende nas pichações, depredações das escolas e mau uso dos livros e material didático fornecido para os alunos. Infelizmente, esse problema só será resolvido quando medidas contra a pobreza, mais políticas públicas a favor dos jovens e maiores expectativas forem implantadas no Estado. Só assim casos como o da Fernanda vão desaparecer. "Acho que a escola tem que ser mais firme em relação aos agressores. Esse tipo de atitude pode desestabilizar a vida de uma pessoa, se ela não tiver o apoio da família, por exemplo. No meu caso, meus pais sempre me aconselharam muito, e me ajudaram na época, o que tornou tudo muito mais fácil". Fernanda também concorda que o jovem deve ser tratado com mais respeito. "O poder público tem que ser mais eficiente, tem que levar para as escolas, principalmente aquelas que estão em bairros de baixa renda, organizar programas que ajudem o jovem a escolher seu futuro e cursos que possam fazer em horários vagos. Com certeza, a partir desses atos, todos vão ganhar", conclui Fernanda.

* O nome da personagem foi alterado para preservar sua identidade.

Você poderá gostar também:

Vítima de bullying posta vídeo de protesto no youtube e ganha milhares de seguidores na web



Gostou do artigo? Compartilhe nas redes sociais!


Encontrou o que procurava? O blog lhe foi útil? Então, curta o Yesachei no Facebook!

3 comentários :

noticia disse... [Responder comentário]

nada a ver

Anônimo disse... [Responder comentário]

"O Bullying é um termo utilizado para descrever uma forma de assédio, utilizado por aquele que está de alguma forma em um nível acima da vítima, seja porque o agressor é mais forte, e em alguns casos até em melhores condições financeiras."

ate que efim alguem descobrio o que era Bullying, so falta avisar a midia senscionalista poises eles não sabem o que e.

Anônimo disse... [Responder comentário]

Bulllying infelismente faz parte da natureza humana. Temo q isso nunca vai sumir

Postar um comentário

Atenção!

Faça seu comentário, mas sempre com responsabilidade, caso contrário, ele não será publicado!

Não serão aceitos comentários que denigram pessoas, raças, religião, marcas e empresas.

Sua opinião é importantíssima para o crescimento do blog. Portanto, comente, o blog agradece!

2leep.com