Cigarro aumenta o risco de diabete



Mais um motivo para você torcer o nariz e evitar as baforadas, próprias ou alheias: médicos de três universidades e dois centros de pesquisa americanos descobriram que a nicotina e outras substâncias exaladas pelo cigarro aumentam os riscos de intolerância à gli­cose e resistência à insulina, etapas que antecedem o diabete. E nem os fuman­tes passivos estão livres da ameaça.
A pesquisa, recém-publicada na revis­ta científica British Medical joumal, acom­panhou 4.572 voluntários durante 15 anos. Eles foram divididos em grupos de fumantes, ex-fumantes, fumantes passi­vos e gente que nunca fumou, nem mes­mo por tabela. O resultado impressiona: 21,8% dos que tragavam cerca de dez ci­garros por dia se tornaram pré-diabéti­cos nesse período. O grupo dos fumantes passivos, obrigados a inalar a fumaça dos vizinhos na média de 12 horas por se­mana, foi o segundo mais afetado, já que 17,2% dos integrantes ficaram com re­sistência à insulina. Entre quem viveu longe da fumaça a incidência se limitou a 11,5%, ou seja, foi bem menor.

Médicos da Universidade Wake Forest, também nos Estados Unidos, apresenta­ram dados semelhantes. Ao observarem 906 fumantes e não-fumantes durante cinco anos, eles notaram que a insulina encontrava mais dificuldade para mandar a glicose para dentro das células em quem tinha o hábito de fumar. Especialistas do mundo inteiro já desconfiavam disso. "Mas precisávamos de trabalhos epide­miológicos que apontassem a relação dire­ta do vicio com a doença", conta o endocri­nologista Lício Velloso, da Universidade Estadual de Campinas, no interior paulis­ta. "As pesquisas deixam clara a ligação."

Os estudos garantem de maneira irrefu­tável o espaço do tabagismo na lista dos fa­tores de risco para o diabete. O desafio agora é descobrir de que modo o tabaco atua nesse sentido. Uma hipótese é que'a nicotina, ao agir nas células dos músculos, do tecido adiposo e do figado, desenca­dearia mudanças no ritmo de produção do pâncreas. "Ele passaria a produzir quantidades cada vez maiores de insulina e, com o tempo, deixaria de dar conta", explica a endocrinologista Márcia Nery, do Hospital das Clínicas de São Paulo.

De qualquer modo, sabe-se que o cigar­ro contribui para o diabete apenas quan­do associado a outros fatores de risco - o que não o redime de culpa, é claro. "Quem está acima do peso, é sedentário, tem casos da doença na família e, ainda por cima, fuma ou é fumante passivo se toma um fortíssimo candidato à doença", avisa o médico Marcos Tambascia, presi­dente da Sociedade Brasileira de Diabetes."

COMBINAÇAO INCANDESCENTE

Diabete mais cigarro é uma equação que só traz maus resultados à saúde cardíaca. E é fácil entender porquê. Isoladamente, o tabagismo já é uma das principais causas de problemas cardiovasculares, provocando infartos e derrames. O diabete, sozinho, também traz conseqüências do gênero, pois, entre outras coisas. acelera a degeneração dos vasos sangüíneos. "Quando se somam esses fatores, os riscos se multiplicam", adverte o endocrinologista Marcos Tambascia. É como acender o pavio de uma bomba prestes a explodir no peito ou numa artéria da cabeça.

NA GORDURA E NOS MÚSCULOS

Moléculas de nicotina se ligam a determinados receptores das células adiposas e das fibras musculares. E isso, por si só, atrapalha a ação da insulina, que precisa levar a glicose do sangue para dentro. Como a glicose não entra nas células, o organismo força os recptores do hormônio a reagir, pedindo mais insulina. Esgotado o pâncreas passa a trabalhar mal e abre alas para o diabete.

SINAIS DA FUMAÇA

Além da nicotina, a fumaceira do cigarro contém centenas de substâncias perigosas capazes de interferir no controle da glicose, agindo principalmente no fígado, na musculatura e no tecido adiposo.

FÍGADO

A glicose armazenada (em forma de glicogênio) deve ser liberada só quando o corpo precisa de energia extra. Mas o fígado dos fumantes se esquece disso e lança o açucar no sangue o tempo todo.





Gostou do artigo? Compartilhe nas redes sociais!


Encontrou o que procurava? O blog lhe foi útil? Então, curta o Yesachei no Facebook!

2 comentários :

Samanta disse... [Responder comentário]

Olá !!!

Excelente este artigo !
Fiquei impressionada com as estatísticas, principalmente sobre os fumantes passivos !
Infelizmente o tabagismo acaba afetando não só os dependentes, mas quem convive com eles, acabam também muito prejudicados...
Parabéns pela iniciativa de divulgar estas informações importantíssimas e que sem dúvidas contribuirão para uma conscientização sobre o assunto.
Um grande abraço !

Elizeu disse... [Responder comentário]

Olá Samanta!
Obrigado pela visita e pelo comentário, como sempre sensato que abrilhanta os blogs que os recebem!
Abraço.

Postar um comentário

Atenção!

Faça seu comentário, mas sempre com responsabilidade, caso contrário, ele não será publicado!

Não serão aceitos comentários que denigram pessoas, raças, religião, marcas e empresas.

Sua opinião é importantíssima para o crescimento do blog. Portanto, comente, o blog agradece!

2leep.com